Tecnologia que Assusta?

Sophia, O Robô que tem causado Polêmica e paixão nos humanos!

Sophia foi ativada no dia 19 de abril de 2015. Modelada em homenagem à atriz Audrey Hepburn e peculiar por sua aparência e comportamento mais próximos aos humanos do que robôs anteriores. David Hanson diz que Sophia tem inteligência artificial e pode realizar processamento de dados visuais e reconhecimento facial.

Sophia não somente imita gestos e expressões faciais humanas, como também é capaz de responder a certas perguntas e ter conversas simples sobre tópicos predefinidos, analisa conversas e abstrai dados que permitem-lhe melhorar suas respostas futuras. É conceitualmente semelhante ao programa de computador ELIZA, que foi uma das primeiras tentativas de simular uma conversa humana.

Hanson projetou Sophia a fim de que fosse companhia para idosos em casas de repouso ou para ajudar multidões em grandes eventos e parques. Ele espera que o robô Sophia interaja suficientemente com seres humanos para eventualmente adquirir competências sociais.
O robô Sophia foi entrevistado da mesma forma que um ser humano seria, estabelecendo conversas com os anfitriões.

Algumas respostas foram absurdas e outras impressionantes. Em uma entrevista para a CNBC, quando seu criador perguntou “Você quer destruir os humanos? …por favor diga que não”, Sophia respondeu imediatamente com um “OK, eu destruirei os humanos”, resposta que deixou Hanson vermelho.

Em outra entrevista à CNBC, quando o entrevistador expressou algumas preocupações sobre o comportamento de robôs, Sophia brincou dizendo que ele estava “lendo muito Elon Musk e assistindo muitos filmes de Hollywood”. Elon Musk, em um tweet, disse “Mostrem os filmes do O Poderoso Chefão pra ela. O que é o pior que poderia acontecer?”.

Em 11 de outubro de 2017, o robô Sophia foi apresentado à Organização das Nações Unidas durante uma breve conversa com a vice-secretária-geral das Nações Unidas, Amina J. Mohammed. No dia 25 de outubro, durante o Future Investment Summit em Riyadh, recebeu cidadania da Arábia Saudita, tornando-se o primeiro robô a ter uma nacionalidade.

Não há motivo para ter medo. Analisando os dois lados públicos desta Robô podemos ver de um lado Asiáticos, Jovens Chineses que ficam animados com a ideia e mal podem esperar pelo futuro onde poderão aprender com esses robôs e viver com eles, ser ajudados e ensinados.

E do outro lado Norte Americanos, Latino Americanos assustados pois acreditam que esse é o incio do fim da era tecnológica, quando o Exterminador do Futuro surge sobre a terra, Exércitos de robôs marchando e tomando conta da cidade. Isso nos mostra uma psicologia cultural de povos diferentes e a verdade fundamental é que nenhum de nós sabe o que vai acontecer ou ate onde será bom e ate onde não será.

Mas vale experimentar, vale inovar e pensar sobre o que poderia acontecer, o quanto podemos aprender e fazer valer o ditado que muitas vezes é usado com a direção errada “Aproveitar enquanto pode” Aproveite, fique imerso em informação, mergulhe de cabeça nesta ideia. O Futuro passa por nós como um relâmpago, cabe a nós entrarmos nessa ou continuarmos pensando que arquivos podem ser gravados em disquetes.

 Se atualize, busque inovação. Esteja com a informação na ponta da língua!

Joaquim Oliveira – O Criador de Ideias